08. AI, AI, CARAMBA! JÁ FUI...

Vou pelo deserto,
Atravesso a fronteira,
De dia ou de noite
Vou de qualquer maneira,
Escavo um túnel,
Corto o arame farpado,
Vou dar tudo o que tenho
P’ra não ficar deste lado.
 
Vou embora e vou mudo,
Muito perto do zero,
Posso ir de balão,
Mas esta vida não quero.
Vou de cacto, vou a jato,
Sou um gato acossado,
Dou corda nos sapatos,
Vou fugir deste fado.
 
Já fui,
Já era,
Quem fica, desespera,
Já dei,
Já deixei,
De tanto ver
Eu faço que não sei.
 
Ai, ai caramba!
Ai, ai caramba!
Ai, ai caramba!
Ai, ai caramba!
 
Vou directo ao assunto,
Vou mudar de país,
A quem é que eu pergunto:
“Qual foi o mal que eu fiz?”.
Trago a pá, trago o pó,
Vou sair do buraco,
Levo a conta da vida
Nas mangas do casaco.
 
 
Vou de burro ou vou a pé,
Escapar à sujeira,
Contornar o polícia
E trocar de bandeira.
Aprendi outra língua,
Sou um homem solteiro,
Vou sair desta fila,
Não nasci pr’a carneiro.
 
Já fui,
Já era,
Quem fica, desespera,
Já dei,
Já deixei,
De tanto ver
Eu faço que não sei.
 
Ai, ai caramba!
Ai, ai caramba!
Ai, ai caramba!
Ai, ai caramba!
 
Ah! País, meu bem,
Tu és d’ouro e vales vintém,
Um dia fechas e vens também.
 
Ai, ai caramba!
Ai, ai caramba!
Ai, ai caramba!
Ai, ai caramba!