Pedro Abrunhosa

  

Pedro Abrunhosa é um Escritor de Canções. Todos os seus Discos são integralmente escritos e compostos por si.
Nasce no Porto em 1960. Inicia cedo os estudos musicais Clássicos. Termina o Curso de Composição do Conservatório de Música do Porto e aos dezasseis anos já dava aulas na Escola de Música do Porto. Foi professor de Música no ensino oficial, na Escola do Hot Club em Lisboa e na Escola de Música Caiús.
Funda em 1982 a Escola de Jazz do Porto e a Orquestra da mesma, que dirige e para a qual escreve.
Como contrabaixista de Jazz trabalha com Joe Hunt, Wallace Rooney, Gerry Nyewood, Steve Brown, Todd Coolman, Billy Hart, Bill Dobbins, Dave Schnitter, Jack Walrath, Boulou Ferré, Elios Ferré, Ramon Cardo, Frankie Rose, Vicent Penasse e Tommy Halferty, entre muitos outros.
Começa a centrar a sua actividade principal na Escrita e Composição de Canções. As suas inúmeras viagens pelo mundo e o seu amor à Literatura, fornecem-lhe o material interior necessário ao processo que desenvolve até hoje.
Funda em 1992 a CoolJazzOrchestra e a Máquina do Som, fazendo Funk em língua portuguesa. Daqui faz nascer os Bandemónio com quem grava os seus cinco primeiro Discos, integralmente escritos e compostos por si.
O seu álbum de estreia, ‘Viagens’ é editado em 1994. O disco é um enorme sucesso atingindo a marca de tripla-platina. Neste álbum conta com a participação especial do saxofonista de James Brown, Maceo Parker. Faz mais de duzentos espectáculos em apenas dois anos. Apresenta-se ainda nos Estados Unidos, canadá, Brasil, Macau, França, Suiça, Espanha, Luxemburgo e Itália.
Em 1995 lança o Maxi-single ‘F’ e um livro homónimo que causam inesperado impacto.
Compôe a música ‘Se Eu Fosse um Dia O Teu Olhar’ para a banda sonora do filme ‘Adão e Eva´, que bate todos os recordes de bilheteira e com a qual recebe o seu primeiro Globo de Ouro.
Em 1996 edita o seu segundo Disco, ’Tempo´, que ultrapassa a marca de quádrupla platina. Para este álbum trabalhou em Minneapolis, Memphis e Nova Iorque com a banda de Prince, os New Power Generation, e Tom Tucker, seu engenheiro principal. Participam ainda Carlos Carmo, Opus Ensemble e Rui Veloso.
Escreve, compõe e produz o musical ‘Rapaz de Papel´ encomenda do Festival dos Cem Dias. Posteriormente grava e produz todas estas músicas no álbum "Amanhecer” de Diana Basto.
É convidado por Caetano Veloso a realizar um espectáculo conjunto na Expo 98.
É convidado pelo realizador Manoel de Oliveira para protagonista masculino do filme «A Carta», rodado em Paris, Itália, Nova Iorque, Lisboa e Londres. Contracena com Chiara Mastroiannni Com esse filme, laureado no Festival de Cinema de Cannes com o Grande Prémio do Júri, tem a oportunidade de fazer a famosa "Subida dos 24 Degraus - La Monté Des marches’.
As suas canções são gravadas e interpretadas no Brasil por artistas como Caetano Veloso, Maria Bethânia, Lenine, Zélia Duncan, Elba Ramalho, Zeca Baleiro, Sandra de Sá, Syang, Rio Souls, Edson Cordeiro entre outros. Com a sua canção, ‘Balada De Gisberta’ de 2007, é levado à cena no Brasil peça homónima, baseada na história retratada na Canção, e que se mantém em cena desde então.
Em 1999 edita o seu terceiro Disco, ’Silêncio´, gravado em Battle, Sussex. ‘Silêncio’ é um disco de viragem extremamente importante para a carreira dos Bandemónio. De ruptura e confronto com os rituais da ‘fama’ e dos holofotes, com os quais nunca se conformou, esperadamente as vendas reflectem-no, atingindo apenas a marca de Platina.
Em 2002 edita o seu quarto álbum, ‘Momento´. Com este álbum, de retumbante sucesso, êxito de vendas e "Airplay" em todas as rádios nacionais atinge novamente a Dupla-Platina, numa altura em que já a industria discográfica acusava o fenómeno digital. Durante dois anos, a canção ‘Momento’ foi a mais tocada em Portugal.
Em 2003 edita o álbum triplo, ‘Palco´ resultado dos emblemáticos concertos ao vivo com os Bandemónio e os HornHeads de Prince. Novamente Dupla-Platina, ‘Palco’ atinge vendas superiores a 72 000 unidades. Neste Disco inclui duetos com Lenine e Zélia Duncan.
Em 2004 encerra o Rock-in-Rio Lisboa. Nesse ano edita o livro ‘Canções´, que rapidamente esgota, contendo partituras das suas mais emblemáticas músicas.
Em 2007 lança o seu quinto álbum, ‘Luz´. Maria Bethania grava, no Brasil, versões deste seu Disco.
Em 2008 cria os Comité Caviar, uma mudança no seu som e postura estética, com quem grava o seu sexto álbum, ‘Longe’. Atinge a marca de Dupla-Platina.
Em 2013 lança o seu sétimo Disco, "Contramão”. Dueto com o Flamenquista Sevillano, Duquende, e com o Fadista Camané. Novamente um sucesso de vendas e ‘airplay’, e de novo Dupla-Platina.

Em 2005, Pedro Abrunhosa funda os BoomStudios, estúdios de gravação para usufruto pessoal mas que cedo se tornam num dos mais importantes e mais bem apetrechados espaços europeus para gravação. Por aí passam várias gerações de músicos nacionais e inúmeras estrelas do panorama internacional como Ryuchi Sakamoto, Charlie Watts, Pete Doherty, Lenine, Zélia Duncan entre muitos. Funda a Editora Boom através da qual edita jovens talentos emergentes do pop/rock português. Brevemente iniciará um catálogo Clássico, sua eterna paixão, e de Jazz.

Para além da escrita de Canções, Pedro Abrunhosa reparte o seu tempo por inúmeras Master-Classes, Conferências, Palestras e Comunicações por todo o país, sobretudo em Universidades, Bibliotecas e Associações Culturais. Foi Cronista da TSF ‘Fórum Estudante’, ‘Magazine Artes’ e ‘MaxMen’. Escreveu ainda Crónicas para a Visão e o Jornal Público.
Escreve Canções para terceiros, quando solicitado e se identifique com o intérprete. Lucinda Williams, Lila Downs, Maria Bethânia, Ana Moura, Carlos do Carmo, Camané, Lenine, Duquende, entre outros, são disso exemplo.

Após 2 anos de preparação, será editado o seu próximo trabalho discográfico em Outubro de 2018.

Compõe as bandas sonoras originais de: ´A Carta´ de Manoel de Oliveira, ´Amour en Latin’ de Serge Abramovic, ´Adão e Eva’ de Joaquim Leitão, ´Novo Mundo´ e do video ’150 Anos de Bonfim
Compõe o Musical ‘O Rapaz de Papel’ para a Expo 98, cerca de 40 Canções posteriormente gravadas e editadas. Compõe ainda as músicas originais das peças ”Possessos de Amor" de Sam Sheppard, "O Aniversário de Infanta” de Oscar Wilde e a ‘Teia’.


3 Globos de Ouro
Prémio Bordallo de Imprensa
Prémio SPA - ´Pedro Osório´
4 prémios BLITZ
4 prémios Rádio Novas Era
Prémio prestígio Nova Gente
Prémio de Melhor Banda Sonora, em Espanha ("Novo Mundo")
2 Prémios Melhor Compositor, pela RCL.
Prémio Telemóvel de Ouro, pelo recorde de downloads das suas músicas
Prémio Arco Iris 2007 da Associação Ilga Portugal pelo tema ‘Balada de Gisberta´, do álbum ‘Luz’.
Medalha de Ouro por Mérito Cultural atribuído pela Autarquia de Gaia.

Copyright © 2013 Pedro Abrunhosa
Sponsored phneutro  ::  By INOVAnet